Dar a outra face?

Mateus 5.39 "... se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra"


Se alguém me der um tapa eu devo dar o outro lado para ele bater?
A pergunta não é o que eu faria, mas o que deveria fazer. 

>> Analisando

Para entender melhor o que Jesus fala, em Mt 5.39, eu proponho a seguinte analogia:

Imagine que um homem passasse a mão na bunda duma mulher.

Biblicamente, o que ela deveria fazer?
Veja que não é o que ela faria, mas o que deveria fazer.
Deveria dar a outra face da bunda como na figura abaixo?
Lógico que não! Da mesma forma, eu não preciso dar o outro lado da face!

Ela poderia responder com um tapa na cara do tarado e ainda assim ser mulher cristã!

Perguntariam: Mas isso não seria dar o mal por mal?
Precisamos entender o que é mal.
Vejamos.
- O policial que prende um criminoso faz o mal? Claro que não faz justiça. Ou seja, acabar com o mal é fazer o bem.
- Um pai que atira num homem armado que entra em sua casa faz o mal? Claro que não, isso é legítima defesa.Ou seja, defender a vida e o patrimônio é fazer o bem.
- Então, dar um tapa na cara dum tarado é uma legítima defesa para fazer justiça. Ou seja, é bem.

Entendido o que é defesa e justiça, sigamos para o contexto.

>> Contexto

Mt 5.38-39 "Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;"
Veja que Jesus cita "olho por olho", isso é, vingança. Não podemos agir com o mesmo mal, mas podemos pedir às autoridades que façam justiça.

> Na prática

Imagine que um homem mate um familiar seu; você cristão não pode pagar assassinato com assassinato, mas pode pedir às autoridades que prendam o assassino.
Se não fosse assim, deveríamos soltar os bandidos que nos dão 'tapas', se não pudéssemos punir a injustiça.

>> Poder de punir

Quando diante de Pilatos, em João 19.10, Jesus o escuta falando que ele [Pilatos] tem poder de matar e de soltar; e, em nenhum momento, Jesus o corrige, dizendo que ele [Pilatos] não teria esse poder.

"Mas e se essa autoridade mandar matar um inocente, como no caso de Jesus; que foi morto, mas era inocente?"
"O que fazemos quando um médico erra? Acabamos com a medicina? Não, procuramos o erro e tentamos anulá-lo."

>> Conclusão

*João 15.17 "Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros".
**Mateus 5.39 "se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra"

Nos é dito que devemos amar* o próximo e também não nos vingar**, mas isso não exclui o poder de punir [Jo 19.20,21] a injustiça, ou o direito de legítima defesa.
Como alguém disse "Eu amo os ... mas abomino suas atitudes... como uma mãe que ama o filho ladrão e abomina suas atitudes."

Então, amemos [desejar o bem] e lutemos por justiça [punir os maus]. 

>> Desafio

Já que Jesus não autoriza a pena de morte, em casos de legítima defesa pessoal ou pelo estado; por que ele autoriza a posse de arma no Antigo Testamento?

Lucas 22:36-38 "Disse-lhes pois: ... o que não tem espada, venda a sua capa e compre-a; [...] E eles disseram: Senhor, eis aqui duas espadas. E ele lhes disse: Basta".
Por acaso a espada/revólver é um instrumento de carinho ou de punição ao injusto?
Lembre-se de que o mesmo Deus que ama é o mesmo que manda para o inferno!